Login: Senha:
Membros da Academia
Médicos, residentes, estudantes
Público Leigo
Boletim Neuro Atual
Arquivos de Neuro-Psiquiatria
Dementia & Neuropsychologia
Neurobiologia
Revista Neurociências
Classificados
Classificados profissionais



PERGUNTAS E RESPOSTAS
Home > Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas sobre Cefáleia

PERGUNTAS e RESPOSTAS
Organizado por Dra. Célia Roesler - Médica Neurologista Coordenadora do Departamento Científico de Cefaléia

 

1) Enxaqueca e Dor de Cabeça são a mesma coisa?
RESPOSTA: Não. Enxaqueca ou migrânea é apenas um dos quase 300 tipos de dores de cabeça já descritos, porém é a mais conhecida. Por isso mesmo a palavra “enxaqueca” se tornou um sinônimo de dor de cabeça entre o público leigo.

2) Como eu sei que a minha dor de cabeça é uma enxaqueca?
RESPOSTA: Quando a dor dura de 4 a 72 horas, acomete um só lado da cabeça ou a cabeça toda, geralmente pulsátil, podendo também ser em peso ou pressão e pode vir acompanhada de náuseas e/ou vômitos, intolerância a luz, barulho, cheiro e movimentos. Além disso, ela começa fraca e vai ficando forte, diferente de outros tipos de dores de cabeça que ou já começam fortes ou são sempre moderadas. Mas como já foi citado – são quase 300 tipos de dores de cabeça -, é fundamental uma avaliação médica com um especialista no assunto, para um diagnóstico correto.

3) O que é uma enxaqueca com aura? É perigosa?
RESPOSTA: Enxaqueca com aura é quando antes da dor de cabeça o paciente tem fenômenos sensitivos ou visuais. Os mais comuns são os sintomas visuais com imagens brilhantes ou “cobrinhas” luminosas, perda de parte do campo visual (visão dupla), ou flashes luminosos. Às vezes o paciente pode ter adormecimento na mão, no braço, e até na metade da língua mas é mais raro. Estes sintomas podem ser confundidos com um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou o popular “derrame” e somente um especialista poderá diagnosticar corretamente.
Cabe observar também que mulheres que têm enxaqueca com aura devem evitar o uso de anticoncepcionais e tabaco, pois o risco de terem um AVC aumenta consideravelmente.

4) O que pode desencadear uma crise de enxaqueca?
RESPOSTA: Como trata-se de uma doença de múltiplas facetas como já se pronunciou um grande especialista brasileiro no assunto os fatores desencadeantes são inúmeros e variam de pessoa para pessoa. Ou seja, a sensibilidade é muito individual.
Os desencadeantes mais importantes são:;
- estresse físico e/ou emocional;
- privação de sono ou sono prolongado;
- jejum prolongado ou pular uma refeição;
- mudanças bruscas de temperatura;
- ingestão de algumas substâncias como chocolate, frutas cítricas, queijos amarelos, embutidos, molhos vermelhos, glutamato monossódico, aspartame, bebidas alcoólicas principalmente o vinho tinto;
- exposição a odores fortes ou ruídos muito altos;
- nas mulheres a queda dos níveis hormonais que ocorrem no período pré-menstrual;

5) Criança tem enxaqueca?
RESPOSTA: Sim, desde muito pequenas. Estudos mostram que 1 a cada 4 crianças até 05 anos teve pelo menos 01 episódio de enxaqueca nos últimos 12 meses.
Muitas vezes esta queixa não é valorizada pelos pais, sendo considerada “manha”, ou desculpa para não ir à aula ou cumprir alguma outra tarefa. Porém, quando a queixa é muito freqüente geralmente elas são levadas ao oftalmologista, otorrinolaringologista e só então lembram do neurologista. Os desencadeantes são os mesmos dos adultos. Deve-se registrar também que as crianças enxaquecosas geralmente são bons alunos por terem um perfil perfeccionista.

6) O que pode acontecer se eu usar analgésicos diariamente?
O uso de analgésicos não deve ultrapassar 2 a 3 dias por semana. O uso contínuo pode levar a cefaléia diária. Quando as dores são freqüentes deverá ser feito um tratamento preventivo com um medicamento diferente destes sintomáticos.

7) Eu não tenho depressão, mas me receitaram antidepressivo para tratar a minha dor de cabeça. Por quê?
RESPOSTA: Existe uma classe de antidepressivos chamados tricíclicos que funcionam muito bem no tratamento preventivo das enxaquecas. Eles agem numa substância chamada serotonina que se relaciona tanto com a enxaqueca como com a depressão. São poucas as drogas usadas exclusivamente para tratar a enxaqueca.

8) Mesmo tendo pressão normal o médico me receitou um remédio para pressão para tratar a minha dor de cabeça. Por quê?
RESPOSTA: A experiência clínica e vários estudos comprovam que a utilização destes medicamentos, em doses baixas, contribuem na prevenção da enxaqueca sem afetar a pressão do paciente.

9) O que é cefaléia em salvas?
RESPOSTA: É descrita como a pior das dores de cabeça. Dizem que é mais forte que cólica renal, cólica de vesícula e dor do parto. Felizmente é rara, afetando cerca de 1 em 1000 pessoas e é 5 vezes mais comum em homens do que em mulheres. A dor acomete só um lado da cabeça e se localiza na fonte, órbita ou atrás do olho. Vem acompanhada de sinais bem evidentes só do lado da dor: queda da pálpebra, congestão ocular, lacrimejamento, obstrução nasal e coriza. Dor em facada, é como se tivesse um ferro em brasa no crânio. As dores geralmente ocorrem de madrugada acordando o paciente, mas podem ocorrem também durante o dia. É a chamada cefaléia suicida. Na suspeita dessa dor deve ser procurado imediatamente um médico especialista para tirar o paciente da crise.

10) Tratamento para enxaqueca engorda?
RESPOSTA: Depende. Não podemos esquecer que no período das crises o paciente além de se alimentar mal ele pode ter náuseas e vômitos. Quando ele melhora naturalmente vai se alimentar melhor. Por isso tem que ter cuidado com a dieta. É claro que existem alguns medicamentos que podem aumentar o apetite e conseqüentemente o peso. Estes deverão ser evitados naqueles pacientes que tem tendência a engordar.




Rua Vergueiro 1353 - sl 1404 - 14ºandar - Torre Norte Top Towers Office - São Paulo/SP - Brasil CEP: 04101-000 Tel.+55(11) 5084-9463/5083-3876
Copyright © Academia Brasileira de Neurologia | Política de privacidade e uso de informações