Login: Senha:
Membros da Academia
Médicos, residentes, estudantes
Público Leigo
Boletim Neuro Atual
Arquivos de Neuro-Psiquiatria
Dementia & Neuropsychologia
Neurobiologia
Revista Neurociências
Classificados
Classificados profissionais



COMUNICADOS
Home > Comunicados

08/01/2013
A luta é de todos os médicos!

Na Diretoria de Defesa Profissional da Associação Paulista de Medicina, recebemos a incumbência de negociar com as operadoras de planos de saúde questões delicadas e, ao mesmo tempo, da mais alta relevância, como os honorários de consultas e procedimentos, os contratos entre empresas e prestadores de serviço e o fi m das interferências na relação médico-paciente.

Historicamente, a maior parte das empresas resistia à negociação coletiva, alegando que discutia as bases do contrato com cada médico. Todos sabemos que esta premissa não se concretizava na prática, especialmente considerando o grande número de profissionais credenciados e referenciados. Mantinha-se, então, um desequilíbrio de argumentos traduzido em grave defasagem do ganho médico.

Este ano de 2012, ao contrário, foi marcado pelo diálogo franco, direto e pe rmanente entre os representantes dos médicos e os executivos das empresas da saúde suplementar em São Paulo. A APM, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo e os Sindicatos dos Médicos realizaram mais de 70 reuniões com os planos de saúde, esgotando, ponto a ponto, as justifi cativas alegadas para o achatamento dos honorários.

Dissemos – e continuaremos dizendo – que da valorização do médico não se pode mais abrir mão, por respeito aos profissionais e aos pacientes e pela própria viabilidade do sistema. Expusemos que, naquele cenário conflituoso, os médicos acabariam se afastando dos planos de saúde. Enfatizamos que sem médicos não há medicina. E começamos a ser ouvidos. Como resultado, passamos a receber propostas concretas que, se ainda não contemplam plenamente nossas reivindicações, trazem avanços significativos.

Saímos do imobilismo em relação ao valor da consulta, implantação da CBHPM (Classificaçã o Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos), contratualização e índice de reajuste dos contratos. Mais do que isso: deixamos para trás um passado de desequilíbrio e defasagem e construímos um caminho para a negociação constante, madura, justa para ambas as partes e fundamental para o atendimento de qualidade aos pacientes.

Obviamente, este resultado só foi possível porque a mobilização da classe médica, antes e durante as negociações – com passeatas, atos públicos, paralisação de advertência, denúncias e parceria com a sociedade civil – sustentou nossa posição diante das empresas. A APM está cada dia mais vibrante e valorizada diante destes players, ao lado de suas Regionais, Sociedades de Especialidade e demais entidades médicas paulistas.

Consultas antes de R$ 25,00 hoje se encontram em patamares entre R$ 60,00 e R$ 80,00 e estamos em uma imersão na CBHPM para implantá-la. Complexa, a negociação sobre os proce dimentos já foi prioridade este ano e assim permanecerá em 2013, até que tenhamos a urgente atualização desses valores. Como frisamos, disso depende a viabilidade do sistema. Quantos de nós já pensamos ou conhecemos um colega que pensou em deixar de fazer cirurgias pelos planos por conta da remuneração irrisória?

Também defendemos que a valorização do profi ssional de medicina na saúde suplementar traz ganhos para todos os médicos brasileiros. É uma cadeia de referências. Esta luta, assim, aproxima-se muito dos pleitos por carreira, salários dignos e condições de trabalho adequadas no sistema público.

O médico competente e dedicado nada tem a temer e deve enfrentar estes desafios com o peito aberto e a cabeça erguida. Negociem com todas as operadoras e façam as exigências cabÍ veis, em consonância com o movimento estadual e nacional. Verifiquem se estão recebendo os valores propostos pelos planos às entidades. Rejeitem contratos abusivos. Colegas do interior, procurem as operadoras locais e regionais e não aceitem valores vis, para que as conquistas alcancem a todos. Denunciem!

Marun David Cury é pediatra e diretor adjunto de Defesa Profissional da Associação Paulista de Medicina

Fonte: APM

 

Rua Vergueiro 1353 - sl 1404 - 14ºandar - Torre Norte Top Towers Office - São Paulo/SP - Brasil CEP: 04101-000 Tel.+55(11) 5084-9463/5083-3876
Copyright © Academia Brasileira de Neurologia | Política de privacidade e uso de informações